Representante de 12 médicos que denunciam ações da Prevent Senior, a advogada Bruna Morato detalhou à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia como foi a invasão ocorrida em seu escritório.  O caso já havia sido divulgado na semana passada e é investigado pelo Ministério Público de São Paulo (MP-SP).

Bruna ressaltou que a invasão ocorreu semanas após vierem à tona as primeiras denúncias contra a operadora de saúde – a Prevent é acusada, entre outras coisas, de disseminar para seus pacientes o “kit Covid”, composto por remédios sem eficácia comprovada a doença e de ocultar a Covid-19 dos registros de óbitos de pacientes.