Indígenas do Litoral Norte protestam em Brasília contra o PL 490/2007

1
379

Indígenas do Litoral Norte de São Paulo estão em Brasília protestando ao lado de parentes do Brasil inteiro contra o PL 490/2007. O projeto altera a Lei 6001/1973, que dispõe sobre o Estatuto do Índio.

Segundo publicação do Instituto Socioambiental (ISA), “a proposta é uma bandeira do bloco bolsonarista-ruralista e, se for aprovada, na prática vai inviabilizar as demarcações, permitir a anulação de Terras Indígenas e sua degradação ambiental por empreendimentos predatórios, como o garimpo e grandes hidrelétricas”.

Na terça-feira (22), o protesto pacífico dos indígenas foi reprimido com violência do lado de fora da Câmara. Nesta quarta-feira (23), o morador da aldeia Renascer de Ubatuba, Fabiano, que está participando dos protestos em Brasília, gravou um vídeo pedindo apoio.

 “Estamos aqui em Brasília já faz 15 dias, estamos em 48 etnias, sendo que estou com um grupo de 6 pessoas que vieram da aldeia Renascer, de Guarani e Tupi Guarani. Ontem foi muito tenso, assim como semana passada, as autoridades aqui de Brasília foram muito agressivas contra os povos indígenas. No nosso protesto pacífico se encontram jovens, crianças, mulheres e idosos. A gente está lutando pelos nossos direitos”, disse o manifestante.

Os dados para quem puder colaborar fazendo doações para os indígenas da aldeia Renascer são: PIX Fabiano de L. Silva / Aldeia Renascer / CPF: 363.616.288-84

Na aldeia Renascer, em Ubatuba, indígenas gravaram um vídeo de apoio aos parentes que estão em Brasília. “Estamos aqui em apoio aos nossos parentes que se encontram em Brasília nesse momento lutando pelos nossos direitos, que está sendo atacado a todo momento por esse governo. Estamos aqui contra o PL 490, que quer tirar os nossos direitos à terra a partir de 88. E nós fazemos esse repúdio contra essa proposta de governo”, defendeu Cristiano Awa Kiririndju.

Também estão em Brasília indígenas da aldeia Boa Vista de Ubatuba, que afirmam que os protestos estão sendo duramente reprimidos e pedem ajuda para conseguir permanecer nas manifestações nos próximos dias. Eles criaram uma “vaquinha da luta indígena” para arcar com os custos de sobrevivência enquanto seguem acampados em frente à Esplanada dos Ministérios. (Chave PIX: 34781040845 / Nome: Luiza / Aldeia Boa Vista, Ubatuba-SP)

O cacique da aldeia Rio Silveiras, de São Sebastião, Adolfo Timotio, também pede ajuda para custear a viagem de indígenas até Brasília, para somar esforços contra o PL 490. “Semana retrasada foram várias lideranças da região, da aldeia de Boracéia também, mas retornaram. E agora nós estamos com programação de ir pra Brasília novamente, por causa da votação dos direitos indígenas, aí estamos pedindo ajuda para pagar o transporte pra ir pra Brasília defender nossos direitos”, explicou o cacique. (Banco do Brasil / Agência: 7009-2 / CC: 1567-9 ou PIX CPF: 133.349.368-9 / Nome: Cacique Adolfo Timotio)

1 COMENTÁRIO