O dálmata Billy, agredido e enterrado vivo por dois homens em Jacareí (SP), morreu na manhã desta sexta-feira (19). O animal, de 12 anos, estava internado em uma clínica veterinária desde o resgate, na última quarta-feira (17). Os responsáveis pelos maus-tratos foram detidos, mas respondem pelo crime em liberdade.

A clínica informou que o cão teve um agravamento do quadro neurológico a partir da noite de quinta-feira (18). O animal, que tinha ferimentos principalmente nas orelhas e pescoço, não precisou ser submetido a cirurgia. A causa exata da morte ainda não foi determinada.

A família da antiga tutora de Billy cobra Justiça – o animal pertencia a um casal e, quando eles se separaram, o agressor quis ficar com dálmata.

“Quero que ele pague pelo o que ele fez, não tem cabimento”, disse a mulher, que foi quem denunciou o maus-tratos à polícia. Ela informou que resgatou uma cadela que ainda estava na posse do ex-companheiro após o ocorrido.

Detenção

Ao ser detido, o homem e um comparsa, que ajudou no enterro do cão no bairro Bandeira Branca, disseram estar arrependidos. Segundo o dono do cachorro, Billy era idoso e estava com problemas de saúde, por isso decidiu enterrá-lo para ‘acabar com a dor’. Ele disse que não sabia o que fazer com o animal doente. A dupla foi indiciada por maus tratos.

Segundo a Polícia Civil, responsável pelo inquérito, com a morte de Billy, a pena inicial prevista para o crime de maus tratos, de três meses a um ano, pode ser agravada, com ampliação da pena.

Cachorro é enterrado vivo pelo próprio dono em Jacareí.  — Foto: Arquivo Pessoal Cachorro é enterrado vivo pelo próprio dono em Jacareí.  — Foto: Arquivo Pessoal

Cachorro é enterrado vivo pelo próprio dono em Jacareí. — Foto: Arquivo Pessoal